A melhor hora para pequenos retoques é a hora que se percebe a necessidade deles

Beleza não tem hora. Atualmente, muitas pessoas não esperam mais as marcas do tempo para recorrer aos benéficos recursos da cirurgia plástica. A cada dia fica mais rotineiro o procedimento cirúrgico em situações de simples retoques na preservação daquele ar de jovialidade nas fisionomias que se aproximam dos 40 anos, sem roubar-lhes os traços originais, algumas vezes sacrificados no caso de grandes cirurgias.

Peles que ainda se apresentam com boa quantidade de fibras colágenas e elásticas garantem grande porcentagem de sucesso nas cirurgias. Quando tais características já estão comprometidas, faz-se necessário um bom preparo da pele durante o período pré-operatório. São criadas condições a partir de substâncias hidratantes e nutricionais e também de técnicas e procedimentos, como o laser de baixa potência fundamental para hidratação, rejuvenescimento e recuperação dos tecidos em processo pré e pós-operatórios.

O Dr. Marco Cassol, especialista em cirurgia plástica, explica que até os 40 anos, aproximadamente, a preocupação estética vinha sendo mais evidenciada no que se refere ao corpo. Mudanças em abdômen e seios eram as mais procuradas.

Hoje já existe uma maior e melhor conscientização, encaminhando as pessoas a preocuparem-se também com o rosto nessa faixa etária.

Quando as mudanças são sutis, o procedimento cirúrgico traz vantagens tanto para o paciente, quanto para o profissional, pois ganha-se tempo, além de acompanhamento intensivo, uma vez que é possível evitar-se internação, fazer uso de uma sedação suave, minimizando assim o processo pós-operatório.

As técnicas anestésicas também evoluiram e os equipamentos de monitoração conseguem primar em eficácia. Isso confirma que a cirurgia plástica é hoje um procedimento que apresenta bastante segurança, até porque em seu enfoque estético não é considerado vital, nem tampouco inadiável.

Evidentemente, há todo um procedimento pré-operatório, que, além de preparar a pele, inclui uma bateria completa de exames, além de detalhada avaliação clínica.

Após a cirurgia também serão exigidos alguns cuidados especiais. Há recomendações quanto à movimentação do paciente, sua alimentação, proteção contra os raios solares, bem como a necessidade de um acompanhamento especializado a fim de acolher e acompanhar o desenvolvimento da pele nova.

“Todo o ‘glamour’ estético desejado, aparecerá aos poucos, tão logo os pequenos hematomas e inchaço inevitáveis devido ao trauma cirúrgico desapareçam. Suas durabilidades variam, pois hoje os recursos são outros. Temos vários procedimentos bem menos invasivos e dependemos do tipo de cirurgia, bem como das condições harmônicas de cada paciente, ou seja, de um conjunto de fatores físicos, fisiológicos e emocionais”, explica Dr. Marco.

Retirar os culotes, eliminar as gordurinhas, melhorar o perfil do rosto, retirar as papadas ou corrigir as pálpebras caídas. Neste ponto, a cirurgia plástica é a mãe de todas as matérias, redefinindo o corpo através do bisturi. Cicatrizes menores, maior cuidado com a redefinição muscular, preservar os traços com suavidade nas cirurgias faciais e de pálpebras garantem resultados melhores, recuperação mais rápida e maior satisfação aos pacientes.

“O momento da decisão deve ser aquele em que se constata a auto-insatisfação. A partir dele não há mais o que adiar, pois somente em estado de prazer é que se consegue aproveitar a experiência e charme adquiridos durante a vida”, conclui o Dr. Marco Cassol.

Autor: Marco Cassol

Plástica e Estética Facial e Corporal. Trabalho com a mente como um cientista e com o coração como um artista. Sou um psiquiatra do bisturi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *