Botox Definitivo ou Miectomia do Músculo Orbicular do Olho

Botox Definitivo ou Miectomia do Músculo Orbicular do Olho

A paralisia dos músculos da face (pelo uso do da toxina botulínica) é temporária. A realização do Botox Cirúrgico ou miectomia do músculo orbicular do olho é permanente, mas absolutamente natural (ocorre apenas uma atenuação permanente da musculatura e não uma paralização total do músculo).

Além de ser bastante simples, a cirurgia elimina os pés-de-galinha sem estabelecer um tempo para retocar a região. Tanto que a operação ganhou o apelido de “botox definitivo”. A toxina botulínica, conhecida como Botox, tem um tempo curto de duração de quatro a seis meses.

A cirurgia pode durar por muitos anos. Vale ressaltar que a miectomia não é feita isoladamente. A operação é realizada em conjunto com um lifting facial. A técnica é ainda uma saída para pessoas que, depois de determinado período, não conseguem mais ter resposta satisfatória com a toxina (o corpo fabrica anticorpos contra a toxina botulínica e, nestes casos, em até 2 meses o músculo volta a contrair e reaparecem as rugas).

A miectomia é feita na chamada musculatura orbicular dos olhos (local dos pés-de-galinha). As rugas se formam pela diminuição do tecido subcutâneo das regiões onde existe uma atividade muscular muito intensa (como na região dos olhos). Este afinamento do tecido embaixo da pele proporciona a visualização da contração do músculo. Isto são as rugas. Quando retiramos parte do músculo, ocorre uma atenuação destas rugas.

Por essa razão, apesar do nome complicado, a miectomia é uma técnica bem fácil de entender. Ela consiste na remoção de parte do músculo que circunda toda pálpebra inferior e superior lateralmente. Para acabar com os “pés de galinha”, fazemos um corte junto a parte anterior do pavilhão auricular. A pele é descolada e os músculos ficam aparentes. Um pequeno e fino pedaço do músculo ao lado do olho é retirado.

A cirurgia pode ser feita por homens e mulheres que desejem atenuar as rugas e conta com anestesia local e sedação. No pós-operatório, o paciente percebe um inchaço variável que começa a atenuar em uma semana e, durante esse período, deve evitar a exposição ao sol. O paciente recebe alta no mesmo dia. Uma das maiores preocupações entre os que se submetem à toxina botulínica é sobre o risco de ficar com a aparência “plastificada”. A perda total das expressões – ou a impossibilidade de manifestar sensações como a tristeza ou a indignação – é uma das maiores reclamações entre quem usa exageradamente a toxina botulínica. Mas e quanto à miectomia? Este efeito nunca ocorre. A miectomia proporciona um resultado mais natural do que o Botox. São retiradas porções do músculo e não todo músculo. A contração da musculatura permanece e o efeito é mais natural. Com este procedimento é possível um resultado superior ao da toxina botulínica, com durabilidade definitiva e sem o risco da aparência “plastificada”.