Cirurgia das pálpebras alivia a aparência de cansaço

Já que os olhos são tidos como espelho da alma e considerado como a parte mais viva e expressiva do rosto, nada mais apropriado que se proporcione uma atenção especial às suas molduras: as pálpebras.

As pálpebras contêm os músculos mais exigidos de toda a face, cumprindo funções múltiplas, como abrir e fechar os olhos, espalhar o filme lacrimal e proteger o globo ocular. Todas estas funções são realizadas por delicados músculos, envoltos por fina camada de tecido subcutâneo, glândulas e uma pele fina e sensível.

A partir dos 25 anos de idade é indicado iniciar um tratamento preventivo contra o envelhecimento precoce das pálpebras. “Já existem cremes específicos para essa pele mais delicada. Além disso, é bom tomar outros cuidados que servem para todo o corpo, como utilizar filtros solares sempre para prevenção do fotoenvelhecimento”, comenta o Dr. Marco Cassol, cirurgião plástico.

A região das pálpebras, por volta dos 30 anos, começa a apresentar os primeiros sinais de envelhecimento, com o aparecimento dos primeiros “pés-de-galinha”. A partir de então, ao seu redor, acentuam-se as bolsas gordurosas, precursoras da indesejável flacidez de pele que ocorre a partir dos 40 anos de idade.

A cirurgia das pálpebras é indicada quando estas estão flácidas e caídas, com excesso de pele ou bolsas de gorduras nas regiões inferiores ou superiores, que dão um aspecto cansado ao rosto.

Não há idade certa para se submeter a essa cirurgia, chamada de blefaroplastia. Contudo, é importante salientar que talvez a aparência de fadiga é resultado de um conjunto de fatores, e não apenas as pálpebras caídas. Assim sendo, a cirurgia de pálpebras talvez não resolva o problema, sendo indicado um tratamento clínico contra rugas e olheiras, bem como peelings para rejuvenescer a pele e obter um resultado harmonioso.

O Dr. Marco Cassol esclarece que a blefaroplastia é uma cirurgia simples, mas que, como todo tipo de cirurgia, exige cuidados pós-operatórios. “Durante o procedimento, o paciente geralmente recebe anestesia local e pode deixar o hospital após 12 horas. É normal haver inchaço, cuja duração varia de acordo com cada organismo. Os resultados definitivos podem ser sentidos seis meses depois”.

Autor: Marco Cassol

Plástica e Estética Facial e Corporal. Trabalho com a mente como um cientista e com o coração como um artista. Sou um psiquiatra do bisturi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *