Como acabar com bigode chinês: dos 20 aos 60, Dr. Cassol indica método para cada idade

As linhas de expressão que vão do canto do nariz ao canto da boca, formando o chamado bigode chinês, é um sinal do tempo que incomoda principalmente as mulheres. Causadas pelo envelhecimento da pele e também por questões genéticas e hábitos nocivos, como tomar muito sol e fumar, elas aparecem mais cedo ou mais tarde, de forma mais suave ou mais profunda, e o tipo de tratamento também varia para cada pessoa.
Mas, antes, é preciso se certificar de que se trata mesmo de bigode chinês. “Nas pessoas com a bochecha mais pronunciada, essas linhas de expressão no rosto fazem parte dos contornos e não têm relação com o bigode chinês”, explica o cirurgião plástico especialista em face Marco Cassol. Se for o caso de buscar um tratamento, ele diz que isso pode ser feito a partir dos 20 anos e indica os melhores para cada faixa etária.

Tratamentos para bigode chinês

De 20 a 30 anos

Como nesse idade o problema costuma ser pouco evidente, o uso de cremes específicos ou eventuais preenchimentos com ácido hialurônico conseguem resolver. Outra dica é apostar nos nutricosméticos que tenham como princípio ativo o adpofil ou o exsynutriment. Em todos os casos os resultados podem ser observados entre três e cinco semanas.
30 a 40 anos

Sessões de laser são indicadas para que seja feito um peeling profundo na pele. O mínimo recomendado para que os resultados apareçam é de três sessões. A cada uma delas é necessário manter repouso por três a quatro dias. Já a vermelhidão da região leva cerca de duas semanas para desaparecer.
40 a 50 anos

Os tratamentos estéticos também são a melhor alternativa nessa faixa etária, especialmente os que estimulam as camadas mais profundas da derme e subderme sem lesar a epiderme. O número de sessões varia para cada pessoa e deve ser indicado por um profissional após avaliação.
50 a 60 anos

O médico indica o uso de fios de sustentação de ácido lático absorvidos pelo corpo. “Um par de cada lado do rosto deixa a face mais firme”, afirma. A cada três meses é preciso refazer o procedimento, para que novos fios sejam colocados. “É preciso esse tempo para que o fio induza o corpo a formar um tecido fibroso que vai retrair os tecidos e melhor a sustentação facial”, explica.
Acima de 60 anos

Depois desta idade, só mesmo a cirurgia plástica irá conseguir eliminar o bigode chinês.

Autor: Marco Cassol

Plástica e Estética Facial e Corporal. Trabalho com a mente como um cientista e com o coração como um artista. Sou um psiquiatra do bisturi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *