Criolipólise ajuda a eliminar gorduras localizadas

Técnica promete reduzir entre 18% e 33% da gordura localizada por região tratada. Resultados aparecem em dois ou três meses

O nome pode até ser um pouco complicado, mas está na boca do povo. Quer ver como você conhece a criolipólise? Basta falar que é a técnica utilizada para remover as gordurinhas indesejadas de várias partes do corpo, como abdômen, coxas, pernas e braços por resfriamento. Lembrou?

O cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e especialista em face, Marco Cassol, explica como o procedimento funciona: “Utilizamos uma ventosa para fazer a pressão negativa, ou seja, uma sucção, sobre a área correspondente ao tamanho da ventosa e congelar a gordura abaixo da pele. As células de gordura são termosensíveis, sensíveis ao efeito do calor, e morrem quando congeladas”, diz o especialista.

Os efeitos aparecem imediatamente e se consolidam entre dois e três meses, mas a técnica não é indicada para todos. “Não deve ser feita em pacientes muito acima do peso, somente naqueles com gorduras localizadas e com tempo mínimo de duas semanas entre as sessões”, aponta o cirurgião plástico.

Para melhorar ainda mais os resultados, o médico indica exercícios físicos, dieta e procedimentos associados. “Junto com o tratamento são indicados exercícios e, principalmente, reeducação alimentar, porque a dieta é responsável por 90% dos resultados. Antes da criolipólise é possível indicar ativos que estimulem a queima de gordura, além da dieta. Depois, devem ser realizadas drenagem linfática e ultrassom na região tratada”, explica Cassol.

O plástico reforça que o desconforto do procedimento desaparece rapidamente, mas é importante escolher bem o local e o profissional que vai fazer a criolipólise porque, apesar de raro, pode haver deformidade permanente na região succionada pela ventosa. Neste caso, o tratamento é a lipoaspiração.

Autor: Marco Cassol

Plástica e Estética Facial e Corporal. Trabalho com a mente como um cientista e com o coração como um artista. Sou um psiquiatra do bisturi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *