Plástica vaginal. A procura por essa cirurgia aumentou e Dr. Cassol explica como ela funciona

Cada vez mais, as mulheres buscam estar de bem com seu corpo e corrigir suas imperfeições, inclusive na região íntima. No Reino Unido, por exemplo, segundo pesquisa do jornal Daily Mail, desde 2001 aumentou em cinco vezes a procura pela labioplastia, intervenção cirúrgica popular entre mulheres de 18 a 24 anos. No Brasil não é diferente. “Existia um certo tabu em relação à cirurgia íntima. Hoje todo mundo tem mais acesso à informação e o procedimento foi desmistificado. Ela pode ser considerada uma cirurgia reparadora da região íntima”, afirma o cirurgião plástico Marco Cassol.

Como é a cirurgia:
“A labioplastia é uma plástica vaginal para a redução dos pequenos lábios, tornando-os mais simétricos e menores que os grandes lábios. É indicada quando os pequenos lábios são muito proeminentes e incomodam a paciente”, esclarece Cassol.
Apesar de ser considerada um procedimento estético, a cirurgia ajuda a melhorar a autoestima e a segurança da mulher, principalmente nas relações sexuais.
Além disso, pode auxiliar na higiene da região e, em alguns casos, inibir as infecções urinárias de repetição.

Processo operatório:
Tanto os cuidados pré e pós operatórios quanto o procedimento cirúrgico são simples. “Evitamos realizar a plástica no período menstrual. Se a paciente estiver com infecção urinária ativa também não pode operar. A cirurgia é feita com anestesia local, dura cerca de uma hora e a paciente recebe alta no mesmo dia”, explica o cirurgião. A recuperação também é algo tranquilo. “O pós-operatório não exige mais do que pouco repou-
so. Indica-se também o uso de absorvente íntimo e pomada contra assaduras na primeira semana. Os pontos caem sozinhos”, concluiu.

“Muitas mulheres comparam a aparência íntima e idealizam um tipo de formato, o que pode ser perigoso, pois precisamos respeitar a anatomia íntima de cada paciente”, afirma o especialista.

Autor: Marco Cassol

Plástica e Estética Facial e Corporal. Trabalho com a mente como um cientista e com o coração como um artista. Sou um psiquiatra do bisturi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *